Publicado em EAD tecnologias educacionais

Por mais Moscas na Educação!

A história conta que Sócrates era conhecido entre seus concidadãos como “a mosca de Atenas”. Diz-se também que ficou encantado com o apelido porque o descrevia muito bem: sua missão era provocar as pessoas por meio de perguntas e explicações que incomodavam e, sobretudo, faziam despertar.” (Francisco Esteban Bara)

Esta citação faz parte de um excelente artigo, publicado na BBC Brasil, e que merece toda nossa atenção e reflexão. Ele pode e deve ser lido AQUI:Por que tantos jovens concluem estudos sem desenvolver verdadeiro espírito crítico

Os últimos acontecimentos em nossa sociedade, a manipulação político-ideológica, as fake-news, os movimentos negacionistas e tantas atrocidades que subestimávamos, voltaram á tona, deixando educadores, profissionais de humanas, mídia e qualquer pessoa com um pouco mais de discernimento muito apavorados!

Conceitos como liberdade de expressão, opinião, ideologia, socialismo, liberalismo, fascismo, genocídio, democracia, cidadania, capitalismo, comunismo, movimentos sociais etc., são jogados ao léu como serpentinas nos velhos Carnavais… (isso me fez até pensar em criar um post para cada uma desses conceitos, com definições e estudos sobre o tema)

Simplesmente trata-se de achar que ter “espírito crítico significa ir contra tudo isso que tá aí, taokey???” NÃO. NÃO É.

Até a próxima semana.

Publicado em EAD tecnologias educacionais

2021

No 2º semestre do ano passado, o país chegou a registrar queda na média móvel das mortes pela doença. Cidades e estados flexibilizaram restrições à circulação, e hospitais de campanha foram desmontados. Mas no final do ano os números voltaram aos patamares de setembro e preocupam especialistas.

Por G1 (https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2021/01/07/brasil-chega-a-200-mil-mortes-por-covid-19-sem-vacina-e-sob-risco-de-repetir-piores-momentos-da-pandemia.ghtm)

Assim começamos este ano e vocês não imaginam como essa cabeça anda em meio aos problemas mundiais, nacionais e pessoais resultantes de um ser microscópico …

Ironicamente, tamanho não é mesmo documento, como diz o ditado popular, que sempre repeti, orgulhosamente do alto (sic) dos meus 150cm! Por isso, estou de volta com essa coisa careta e ultrapassada chamada blog. Minha timidez me impede de me transformar numa “youtuber”… Talvez arrisque um podcast (também considerado antiquado para alguns) de vez em quando, mas se não gosta de ler, sinto muito, pois aqui não rolarão muitos vídeos.

Publicado em cidadania, internet, políticas públicas

O cão, o homem, a polícia e os “juízes virtuais”

Recentemente, o vídeo “da hora” é o do cãozinho “Chei di pulga”, que correu atrás de seu dono, Fábio de Souza Cesário, que era conduzido dentro de uma viatura da Guarda Municipal na cidade de Volta Redonda no RJ.

Filmado pela viatura da PM, segundo jornalistas da matéria do jornal EXTRA, que você confere AQUI, o danadinho acaba fazendo com que a viatura pare e uma guarda abre a porta para que ele entre e siga com seu dono.

Mas… por que você está escrevendo sobre isso, amiga???

Simplesmente porque soube deste vídeo através do excelente programa Estudio i, da Globo News. No programa que foi ao ar, hoje cedo, 25/10/2019, onde os comentaristas do programa apresentaram suas observações sobre o ocorrido. Nada demais, se não fosse por alguns questionamentos que, na minha opinião (que pretendo fundamentar e não é inflexível) foram exageradamente precipitados.

1- Questionar que os homens estavam sendo presos, por não portarem documentos: sabemos que no Brasil, ainda existem pessoas que atingem a idade adulta sem sequer ter uma certidão de nascimento. Sim. É real. Mas muitos indivíduos, principalmente moradores em situação de total vulnerabilidade, não os possuem simplesmente por ter seus pertences roubados ou perdidos. Outros, entretanto, podem não portá-los unicamente por estarem fichados e logicamente, não querem ser identificados. Logo, recolher estas pessoas, de forma pacífica e através de convencimento, é uma questão humanitária. Se era isso que estava sendo feito ou não, apenas a imagem de um vídeo, não dá o direito de questionamento, sob pena de incorrer em erro de julgamento. O rapaz não estava algemado. Mas estava na caçamba! Só quem já trabalhou no serviço público sabe que quase sempre não há transporte adequado nem para os funcionários…

2- Para que recebam atendimento social digno, possam ter um auxílio qualquer em caso de necessidade, é essencial que tirem novos documentos ou mesmo façam algum cadastro nos órgãos competentes. Não há política pública sem números e documentos. Se com toda a burocracia dos registros já temos corrupção e desvio de recursos de montão, imaginem sem estes cuidados. Não tenho conhecimento do que está sendo realizado no município de Volta Redonda e este episódio pode ser uma boa pedida para a própria mídia acompanhar, já que esta deveria ser sua função primordial.

3- Em tempos de verdadeiros tribunais de inquisição na internet, considero necessário que profissionais de comunicação devam ter extremo cuidado ao favorecer julgamentos baseados no senso comum: sim, temos uma polícia violenta e cruel com pobres, marginalizados, negros e todos aqueles que não se enquadram no estereótipo criado dos “cidadãos de bem”. Mas é preciso bem mais do que alguns minutinhos de vídeo para lançar mais lenha nas fogueiras que queimam tudo por aí… de florestas, a moradores de rua e reputações.

Vídeo feito pelo PM que mostra o cão “Chei di pulga” obstinadamente seguindo seu amigo!
Publicado em EAD tecnologias educacionais, internet

O Retorno

O caminho se faz caminhando…

São quase 14 anos com blogs, mas tudo bem, pelo menos uns 5 anos sem publicar nada. Aí, alguém pergunta: “_ Mas o que te fez voltar agora? Blogs estão ultrapassados, a onda agora é ser Youtuber,  (ou no meu caso, “Edutuber”)!

Respondo sem medo de ser feliz: motivo 1 – Não tenho autoestima suficiente para vídeos. Timidez é um sério problema, (para os outros) por mim, convivo bem com ela. Motivo 2 – me expresso muito melhor escrevendo do que falando, provavelmente pela timidez. Motivo 3 – Mas como pode uma professora ser tímida? Pode sim. Em sala de aula estou no Meu habitat natural, que não é a selva da WEB. Na WEB, ninguém vai se concentrar na ideia do vídeo, e sim, na minha aparência, nos meus acessórios, no  “cenário” etc… e finalmente, motivo 4 – pessoas precisam LER mais. Pessoas precisam JULGAR menos. Pessoas precisam PENSAR mais.