Publicado em cidadania, internet, políticas públicas

O cão, o homem, a polícia e os “juízes virtuais”

Recentemente, o vídeo “da hora” é o do cãozinho “Chei di pulga”, que correu atrás de seu dono, Fábio de Souza Cesário, que era conduzido dentro de uma viatura da Guarda Municipal na cidade de Volta Redonda no RJ.

Filmado pela viatura da PM, segundo jornalistas da matéria do jornal EXTRA, que você confere AQUI, o danadinho acaba fazendo com que a viatura pare e uma guarda abre a porta para que ele entre e siga com seu dono.

Mas… por que você está escrevendo sobre isso, amiga???

Simplesmente porque soube deste vídeo através do excelente programa Estudio i, da Globo News. No programa que foi ao ar, hoje cedo, 25/10/2019, onde os comentaristas do programa apresentaram suas observações sobre o ocorrido. Nada demais, se não fosse por alguns questionamentos que, na minha opinião (que pretendo fundamentar e não é inflexível) foram exageradamente precipitados.

1- Questionar que os homens estavam sendo presos, por não portarem documentos: sabemos que no Brasil, ainda existem pessoas que atingem a idade adulta sem sequer ter uma certidão de nascimento. Sim. É real. Mas muitos indivíduos, principalmente moradores em situação de total vulnerabilidade, não os possuem simplesmente por ter seus pertences roubados ou perdidos. Outros, entretanto, podem não portá-los unicamente por estarem fichados e logicamente, não querem ser identificados. Logo, recolher estas pessoas, de forma pacífica e através de convencimento, é uma questão humanitária. Se era isso que estava sendo feito ou não, apenas a imagem de um vídeo, não dá o direito de questionamento, sob pena de incorrer em erro de julgamento. O rapaz não estava algemado. Mas estava na caçamba! Só quem já trabalhou no serviço público sabe que quase sempre não há transporte adequado nem para os funcionários…

2- Para que recebam atendimento social digno, possam ter um auxílio qualquer em caso de necessidade, é essencial que tirem novos documentos ou mesmo façam algum cadastro nos órgãos competentes. Não há política pública sem números e documentos. Se com toda a burocracia dos registros já temos corrupção e desvio de recursos de montão, imaginem sem estes cuidados. Não tenho conhecimento do que está sendo realizado no município de Volta Redonda e este episódio pode ser uma boa pedida para a própria mídia acompanhar, já que esta deveria ser sua função primordial.

3- Em tempos de verdadeiros tribunais de inquisição na internet, considero necessário que profissionais de comunicação devam ter extremo cuidado ao favorecer julgamentos baseados no senso comum: sim, temos uma polícia violenta e cruel com pobres, marginalizados, negros e todos aqueles que não se enquadram no estereótipo criado dos “cidadãos de bem”. Mas é preciso bem mais do que alguns minutinhos de vídeo para lançar mais lenha nas fogueiras que queimam tudo por aí… de florestas, a moradores de rua e reputações.

Vídeo feito pelo PM que mostra o cão “Chei di pulga” obstinadamente seguindo seu amigo!

Autor:

Procurando construir aprendizagens pela rede, pois acredito que através dela seja possível alcançar uma educação democrática. Pedagoga e especialista em Informática, quase especialista em Educação a Distância.

Obrigada por seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.